Saúde

Autoestima: entenda sua importância na vida social

A vivência da rotina e os meandros pelos quais as pessoas passam são motivos que podem afetar a autoestima na vida social de maneira pessoal.

De forma intuitiva, cada indivíduo tem uma consideração pessoal positiva que pode ser a diferença fundamental entre sentir-se bem e cuidar de si mesmo ou não. 

Provavelmente, muitas pessoas já ouviram o conselho de acreditar e valorizar a si mesmo, ser a própria incentivadora pessoal e que não é possível amar completamente o outro até amar a si próprio. E tudo isso é verdade. 

No entanto, o que exatamente isso realmente significa na vida real? Essencialmente, ter autoestima é vital para uma vida bem-sucedida e feliz, conforme afirmam especialistas. 

O que é a autoestima?

Para ter uma autoestima elevada, é importante entender o que realmente essa palavra significa.

Em primeiro lugar, estima significa ter admiração e respeito. Dessa forma, a autoestima é dar respeito e admiração a si mesmo.

De acordo com estudos da área de Psicologia, a autoestima é o grau em que as qualidades e características contidas no autoconceito de uma pessoa são percebidas de forma positiva. 

A autoestima elevada não é apenas gostar de si mesmo, mas geralmente proporcionar sentimentos que são valorizados pela sociedade, como:

  • Amor;
  • Dignidade;
  • Respeito
  • Valor.

A autoestima positiva também significa acreditar na própria capacidade para aprender, alcançar e contribuir de alguma forma para o mundo, tendo autonomia para fazer diversas atividades por conta própria. 

Ou seja, significa que uma pessoa acredita nas próprias ideias, sentimentos e opiniões, e que elas valem a pena de alguma maneira. 

Em outras palavras, a autoestima é como a pessoa se sente em relação a si mesma, por dentro e por fora, abrangendo o que se pensa e valoriza em si mesma e como ela se relaciona com a sociedade em geral. 

Também está relacionado a como ela se sente enquanto os outros a enxergam, tratam e valorizam como ser humano. 

A autoestima não depende inteiramente de um elemento em particular, com o trabalho em um cargo almejado em uma empresa de portaria ou de um conjunto de pensamento. 

Em vez disso, a autoestima de uma pessoa é composta da própria visão de todas as características que a definem como indivíduo, incluindo a personalidade, realizações, talentos, capacidades, experiências, relacionamento e corpo físico, bem como percebem como outros o enxergam. 

Cada indivíduo pode colocar uma ênfase particular em certas áreas que afetam a autoestima, como dar importância extra à própria aparência, status de relacionamento, talentos ou realizações profissionais, ou a falta delas, ao formar a autoimagem e como se sente sobre isso.

Autoestima em alta

Alta autoestima significa, de uma maneira geral, manter-se em consideração positiva. Isso não significa que uma pessoa ama tudo sobre si mesma, ou pensa que é a perfeição. 

Pelo contrário, mesmo para quem tem alta autoestima, é comum também ser autocrítico e ter algumas partes de si das quais a pessoa se orgulha ou menos se orgulha do que outros elementos. 

A alta autoestima pode flutuar dependendo das circunstâncias em que a pessoa se encontra, em qual momento da vida está passando, entre outros aspectos que tendem a influenciar. 

Essencialmente, a autoestima elevada é um estado de espírito que permite que a pessoa celebre os pontos fortes, desafie as fraquezas e se sinta bem consigo mesma e com a vida em geral, seja trabalhando como instalador de leitor RFID em estabelecimentos comerciais ou estando em um evento social junto aos amigos e familiares.

Como indivíduo, ele permite que se coloque na balança os altos e baixos diários em perspectiva porque, na verdade, ela valoriza, confia e respeita a si mesmo.

A autoestima elevada também o ajuda a entender que nem tudo é sobre o indivíduo em particular, permitindo que não leve tudo para o lado pessoal, e assim não seja excessivamente reativo. 

O autorrespeito forte permite que o indivíduo veja além de si mesmo e se sinta confiante quanto a posição e o lugar em que se encontra no mundo. 

Autoestima e comportamento pró-social

A alta autoestima também está ligada ao comportamento pró-social, com ações voltadas para a intenção de beneficiar a terceiros, como generosidade e qualidades que mostram empatia, flexibilidade e relacionamentos familiares positivos. 

De fato, estudos apontam que estudantes com maior autoestima e relacionamentos mais amorosos e de apoio com as próprias famílias são mais bem-sucedidos na escola e se adaptam melhor ao ajuste social de viver em um novo ambiente. 

Além disso, a alta autoestima é considerada protetora contra muitas condições de saúde mental, como depressão e ansiedade. 

Ter uma autoestima elevada está diretamente relacionada à própria satisfação com a vida e à capacidade de manter uma atitude favorável. Isso se prova quando, voltado a si mesmo, em situações desafiadoras. 

Maneiras de melhorar a autoestima na vida social

Melhorar a autoestima requer prática e intenção, e o esforço pode valer a pena, pois há uma ligação clara com a qualidade de vida.

Algumas estratégias podem ajudar uma pessoa a pensar de forma favorável sobre si mesma e incluem ações apresentadas a seguir. 

  1. Aceitar elogios

Observe o desejo de desviar elogios e, em vez disso, ouça o outro e deixe-o entrar e se estabelecer de forma positiva. 

Curiosamente, a dificuldade em aceitar elogios está correlacionada com a baixa autoestima. 

  1. Dê a si mesmo uma pausa

Perdoe-se pelos erros e exclua as teorias negativas e auto-conversas sabotadoras. Ninguém é perfeito ou ama tudo sobre si mesmo.

Quem trabalha em uma empresa de portaria pode ter os altos e baixos por causa da profissão, e chega um momento em que é preciso dar uma pausa para que a auto-cobrança não afete a autoestima.

Não espere isso de si mesmo. Quando a pessoa se insere em uma espiral negativa, ela deve se perguntar se está sendo justa consigo mesma ou apenas realista. 

  1. Ame a si mesmo junto com os defeitos

Sim, uma pessoa pode ter momentos ou situações que gostaria que fossem diferentes, quer mudar ou simplesmente não a faz feliz, mas é preciso amar e respeitar a si mesma de qualquer maneira. 

  1. Valorize a pessoa que virou

Procure aceitar e encontrar quem é como pessoa agora. Procure e sinta orgulho do que o torna único como indivíduo, como cidadão, como pai, mãe, filho, avô ou avó. 

Se for o caso, pode ser que alugar sala comercial para atender os clientes seja uma solução para valorizar não só a pessoa que se tornou, mas também o profissional após anos de estudos.

Isso proporciona felicidade e valorização incondicional e inerente a cada ser humano.

  1. Reconheça a importância da autoestima

Uma vez que a pessoa começa a enxergar como a visão de si mesma afeta a satisfação com a vida e o bem-estar, ela pode ficar mais motivada para alterar o pensamento e se valorizar mais. 

  1. Procure suporte profissional

A terapia pode ajudar as pessoas, seja para trabalhar questões que podem estar impedindo a própria auto-perspectiva positiva, ou para promover o desenvolvimento de habilidades para interromper o diálogo interno negativo, obtendo uma visão mais otimista de si mesma. 

Da mesma forma que é preciso procurar uma loja especializada em tinta epóxi preço para arrumar a casa, um profissional da área da saúde, como um terapeuta ou psicólogo, pode ser o suporte necessário em determinado momento da vida, auxiliando a elaborar melhor os sentimentos e os pensamentos.

  1. Comece um diário de gratidão

Em um diário pessoal com o cunho de gratidão, anote todas as coisas positivas que acontecem na vida, o que gosta em si mesmo, as realizações ou qualidades das quais se orgulha, e leia para si mesmo. 

  1. Anote os próprios pensamentos

Quando surgirem problemas negativos, como ter que levar o animal de estimação ao hospital veterinário 24 horas, uma pessoa pode escolher trabalhar ativamente, se mostrando mais produtiva nos problemas, ou decidir deixá-los ir. 

Quando se tem pensamentos positivos, é preciso amplificá-los, principalmente quando surgirem pensamentos menos favoráveis a determinadas situações ou mesmo outras pessoas. 

  1. Pense em si mesmo como um amigo

De uma forma geral, quando uma pessoa se enxerga como uma amiga, será mais paciente, perdoável, gentil, encorajadora, solidária e orgulhosa.

Sempre que houver uma autocrítica, vale dar um passo para trás e mudar a perspectiva, olhando para si mesmo como um amigo que precisa de ajuda. 

  1. Trabalhe em si mesmo

Se há algo sobre o indivíduo ou a vida com as quais, pessoalmente, não se sente bem, é preciso considerar as mudanças que podem ser feitas. 

Como um escritório pode passar a precisar de cabeamento estruturado para que todas as máquinas fiquem ligadas sem qualquer problema, otimizando a rotina; é preciso fazer um plano para colocar essas mudanças em ação e identificar quais aspectos precisam ser revistos e melhorados em si mesmo, e qual a melhor forma de fazê-lo.

Conclusão

A partir do momento que uma pessoa se valoriza e tem uma boa autoestima na vida social, ela se sente mais segura e valiosa. 

Isso se transforma em relacionamentos positivos com os outros e a pessoa se sente confiante quanto às habilidades que possui.

Além disso, também está aberta ao aprendizado e feedback, o que pode ajudar a adquirir e dominar novos aprendizados, como desenvolver projetos de laudo tecnico eletrico quando é um profissional que atua na área da construção civil.  

Com uma autoestima saudável, é possível afirmar que a pessoa é:

  • Assertiva quanto a necessidades e opiniões;
  • Capaz de forma relacionamentos seguros e honestos;
  • Confiante na tomada de decisões;
  • Realista dentro das expectativas;
  • Resiliente e capaz de resistir a estresse e contratempos.

A autoestima afeta praticamente todas as facetas da vida de uma pessoa. Manter uma visão saudável e realista de si mesmo não significa levar tudo centralizado em um único indivíduo.

Trata-se de aprender a gostar e respeitar a si mesmo, seja os defeitos e tudo mais que afeta a autoestima na vida social. Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

CNPJ: 15.063.424/0001-72
Endereço: 11ª av n 1409 qd 41 a Setor leste universitário Goiânia
Grupo marketing de negócios