marketing
Blog

Aprenda a aplicar o Marketing 4.0 seu negócio

Apesar de parecer uma questão super moderna e recente na vida das pessoas, o marketing é um componente presente na vida social da humanidade antes mesmo da formação de mercados de compra e venda. Depois de muito tempo, chegamos ao Marketing 4.0.

Desde que o próprio conceito de marketing foi desenvolvido, as transformações históricas, em especial as tecnológicas, têm afetado de forma direta a maneira que as empresas se comunicam e se conectam com seus respectivos públicos.

O marketing teve que se adaptar desde a comunicação escrita, desde o rádio, a televisão, outdoors, até chegar na internet. A partir da chegada no meio digital, a escala de mudança aumentou muito em velocidade e complexidade, por isso, deve ser acompanhado de perto.

Assim, uma empresa de manutenção ar condicionados com mais experiência de mercado pode ver como a comunicação e os meios mais interessantes de se investir foram sendo substituídos e renovados ao longo do tempo.

No geral, o acesso a tecnologia é a chave dessa mudança. Especialistas e estudiosos da área do marketing já tinham listado três estágios desse conjunto de ações e conhecimentos. 

São eles o Marketing 1.0, o Marketing 2.0, o Marketing 3.0 e, por fim, o que está sendo desenvolvido nos dias atuais o Marketing 4.0.

O novo marketing que será visto nos próximos anos é o da economia digital, profundamente conectado graças à internet e relacionado com novas ferramentas tecnológicas e discursivas para oferecer os produtos da melhor forma possível para o público ideal. 

As quatro eras do marketing

Desde que o marketing entrou no radar como um fator de sucesso para empresas de fornecedor de brindes personalizados, ele tem evoluído e se adaptado aos mais diversos cenários, cada qual com a sua demanda.

As características de cada momento marcam uma ruptura contra a forma que a comunicação de empresas com os seus públicos era vistos na fase anterior. Um conceito da terceira era não é necessariamente abandonado, mas sim, utilizado e renovado no quarto momento.

Boa parte das definições de marketing junto aos seus momentos e suas eras estão descritas em detalhes no material acadêmico de livros e artigos de estudiosos como Kotler.

Isso reforça a importância de compreender o marketing com uma ciência que tem métodos e acumula conhecimento.

Além dessa documentação de registro em uma bibliografia extensa, as eras do marketing marcaram na memória das pessoas e da sociedade algumas características que registram a mudança entre os ciclos e eras.

Em geral, cada etapa ou era do marketing pode ser definida a partir de um conceito e do aproveitamento e aprofundamento das ideias de fases anteriores:

  • Primeiro surge a comunicação de massa e direta;
  • A segmentação de públicos e a construção de marca;
  • A personalização da experiência de compra e a humanização da empresa;
  • Interatividade e aumento do uso de ferramentas de personalização automatizadas.

É interessante compreender o cenário em que o Marketing 1.0 se desenvolveu. Pelo cenário tecnológico e até social havia poucos concorrentes, assim como um número menor e mais inacessível de meios de comunicação.

Por conta disso, se compromete em roteiros de ações de marketing apenas com a apresentação massiva do potencial funcional dos produtos. Um exemplo poderia ser um anúncio direto em jornais sobre a importância da manutenção aquecedor gás.

O segundo momento, ou seja, o Marketing 2.0 não surgiu espontaneamente. O motor dessa transformação é a busca das empresas por inovação e em geral alguma demanda do mercado. No caso da segunda era, foi o aumento da demanda.

Com um mercado mais concorrido, o Marketing 2.0 abre o olhar das empresas para uma compreensão maior da comunicação a partir de uma construção de marca. As empresas buscaram apresentar uma identidade única que se destaque diante de outros concorrentes.

Outra transformação com Marketing 2.0 acontece para e com os consumidores. Com mais opções no mercado, a escolha pode ser mais seletiva, o que torna os públicos mais exigentes.

Com uma identidade mais delimitada e consumidores mais conscientes, surgiu a segmentação.

Essa prática tem a intenção de localizar um grupo de consumidores em potencial e apresentar seu produto ou serviço com um welcome coffee ou outras ações que conectem consumidores à sua identidade.

Alguns anos à frente, a segmentação a partir de grupos foi se aprofundando, e cada vez mais esses grupos de interesses eram menores e mais específicos. Com o aumento da capacidade de comunicação das empresas surge a personalização com o Marketing 3.0.

A personalização supera o valor da segmentação nas estratégias, por tratar cada consumidor como único, com seus próprios desejos e necessidades.

Com isso, uma empresa de aluguel de sala de reunião pode oferecer um ambiente ideal além de um atendimento mais dedicado.

Outra característica do Marketing 3.0 é a criação de um caráter pessoal e humano. A fim de gerar identificação com o consumidor, as marcas assumem características de avatares de seus próprios consumidores.

Os consumidores deixaram de esperar apenas bons produtos ou facilidades comuns até aqui. 

As empresas que cresceram e se destacaram nessa etapa do mercado, mas que também são uma bandeira de seus próprios gostos e hábitos, assumindo uma identidade com compromisso.

A terceira onda do marketing surgiu em um contexto de maturação da internet, principalmente com computadores, já a quarta já chega até os públicos por meio de celulares, muito mais agressiva e responsiva.

Blogs, redes sociais, infoprodutos online, influenciadores, marketing colaborativo, todos esses conceitos foram criados e explorados no marketing, graças à explosão de uma verdadeira revolução digital que facilitou o acesso à informações em pouco tempo. 

O Marketing 4.0 aproveita os conceitos anteriores do marketing para explorar a personalização com uma base de dados geradas pela navegação dos usuários e com os algoritmos criteriosos para oferecer séries de american bully classic para os interessados. 

O que é e como aplicar os conceitos do Marketing 4.0?

Para entender o que é o Marketing 4.0, é importante lembrar dos conceitos de cada uma das etapas anteriores. Esses não foram descartados, mas sim, renovados e aplicados a uma nova lógica mais expressa e tecnológica.

Todas as transformações tecnológicas fizeram com que as empresas precisassem marcar presença em ambientes antes não explorados como as redes sociais, e-mail marketing, marketing de conteúdo, entre outros.

As mudanças internas e externas de processos precisam ser profundas para que as empresas adentrem ao cenário do Marketing 4.0. Não basta estar presente com um perfil em redes sociais, mas investindo e criando um ecossistema bem estruturado de consumidores.

Aqui entra uma característica única do Marketing 4.0, a gestão de uma comunidade consumidora. O público agora tem ferramentas para participar das ações de marketing, o engajamento vira um objetivo principal de empresas e estratégias de marketing.

Para compreender o marketing digital, é preciso entender uma mudança de fluxo. Até as etapas anteriores era comum que empresas jogassem as informações e depois apenas visualizar os resultados nas vendas.

Agora o marketing é muito mais horizontal, consumidores se tornam embaixadores de marcas, comentários e curtidas baseiam decisões e o feedback nunca foi tão importante. Crescem as propagandas que utilizam ideias de criação de conteúdo feita por consumidores.

Uma empresa de cirurgia bariátrica pode incentivar pacientes a apresentar seus resultados em vídeos curtos, gerando uma ação de marketing viral colaborativa e com forte poder de convencimento e identificação.

O Marketing 4.0 também quebra algumas barreiras geográficas, hierárquicas e até pessoais. Com um contato mais humanizado e direto entre empresas e públicos, é natural que o consumo seja guiado pela identificação e personalização da oferta de valor.

As empresas precisam instituir processos dinâmicos para tirar o proveito das transformações do Marketing 4.0 e estar a frente do mercado em técnicas de um futuro Marketing 5.0.

De forma geral, o Marketing 4.0 demanda que as empresas tomem medidas como:

  • Entrada e investimento nas redes sociais;
  • Desenvolvimento de sites e investimento para gerar tráfego;
  • Uso de ferramentas de automação em marketing; 
  • Construir uma comunidade compradora e engajada; 
  • Integração do marketing online e offline.

Em resumo, as empresas aderem ao Marketing 4.0 por necessidade de encontrar o público mais propenso a consumir com o máximo de efetividade e o menor custo possível. A questão é, quanto mais cedo e mais acertadamente esse investimento for feito, maior será o resultado. 

Considerações finais

As mudanças tecnológicas que geram o surgimento do Marketing 4.0 não são em detalhes como o mousepad, mas alterações de lógicas, criações de novos formatos que mudam totalmente a forma com que empresas se conectam com uma determinada audiência.

O Marketing 4.0 depende que empresas estejam adaptadas ao meio digital.

A lógica principal da relação entre o público e a empresa é que graças às ferramentas disponíveis, é possível oferecer uma oferta e experiência personalizada, enquanto cria uma comunidade ativa e consumidora.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

CNPJ: 15.063.424/0001-72
Endereço: 11ª av n 1409 qd 41 a Setor leste universitário Goiânia
Grupo marketing de negócios